Institucional - O Sistema Sicoob

O Sicoob – Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil – é a maior rede de cooperativas de crédito do Brasil e de Santa Catarina.
O Sicoob – Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil – é a maior rede de cooperativas de crédito do Brasil e de Santa Catarina. Oferece todos os serviços disponíveis em um banco. O Sicoob SC possui 41 cooperativas singulares, filiadas a uma Central, e forma a segunda maior rede de atendimento das instituições financeiras do estado. São 311 agências, presentes em 218 municípios catarinenses, cinco gaúchos e oito paranaeses, divididas por segmento da seguinte forma: 
 
Estrutura do Sicoob SC

 

Livre Admissão

Empresários

Micro e Pequenos Empresários

Crédito Urbano

Crédito Rural

Total

Cooperativas (agências sede)

26

1

2

6

6

41

Agências locais (PACs)

233

2

7

28

41

311

Total de agências

259

3

9

34

47

352

Data base: julho/2012                      
                        
Cooperativas de crédito são instituições financeiras não bancárias que possuem legislação específica - Lei 5.764/71 e LC 130/2009 . São regulamentadas pelo Conselho Monetário Nacional, autorizadas e fiscalizadas pelo Banco Central do Brasil. O cooperativismo de crédito se caracteriza por assumir os riscos da intermediação de recursos privados e gerar benefícios para a comunidade local. Os cooperados são usuários dos serviços e donos do negócio.
O Sicoob Central SC congrega e representa suas cooperativas filiadas. Objetiva a organização, em comum e em maior escala, dos serviços econômico-financeiros, e dá assistência às filiadas com vistas na integração do Sistema. Dispõe de uma estrutura especializada nas áreas administrativa, financeira, tecnológica, comercial e jurídica, de capacitação, recursos humanos, contabilidade, auditoria, controles internos, desenvolvimento de negócios, comunicação e marketing.
Credibilidade
Atestando a confiança, transparência e qualidade dos serviços prestados, nos últimos dois anos o número de associados catarinenses ao Sicoob subiu de 234.320 para 330.266 e os Ativos Financeiros passaram de R$ 1,7 bi para R$ 2,7 bilhões. Confira alguns dados da participação do Sicoob no Sistema Financeiro em Santa Catarina:
 

Participação estadual do Sicoob

 

Total Estadual (R$)

Total Sicoob SC (R$)

Participação do Sicoob em SC

Depósitos

46.765.586.453

2.903.925.495

6,62%

Operações de Crédito

51.618.905.095

2.471.808.828

4,34%

                                                                                                                                                           Data base: Outubro/2012
 
Gerenciamento de Riscos
Como agente econômico, o Sicoob tem o compromisso de gerenciar riscos operacionais e de mercado inerentes às suas atividades. O monitoramento e a avaliação desses riscos são realizados através de uma estrutura de gerenciamento de riscos com procedimentos estabelecidos, atualmente em fase de alteração. Acesse o Relatório da estrutura de Gerenciamento de riscos.  Realizam  este acompanhamento o Conselho de Administração, os gestores da Central, profissionais que atuam como agentes e monitores internos de risco e a área de auditoria da Confederação nacional do Sicoob. 
Para maior tranquilidade de seus associados, o Sicoob possui fundos para garantir a estabilidade de suas operações financeiras - o Fundo Garantidor de Crédito (FGCOOP) e o Fundo de Estabilidade Financeira (FEF).
O FGCOOP é um fundo regional que garante os depósitos dos associados por meio de indenizações limitadas a R$ 70 mil por titular e cobre os chamados riscos não-sistemáticos, também denominado risco próprio, consequente direto de aspectos financeiros, da administração ou do setor de atuação.  
O FEF é um fundo nacional para o desenvolvimento econômico-financeiro. Cobre os riscos sistemáticos, que resultam do sistema político, econômico e social e das características de mercado, como taxas de juros e câmbio. Restabelece limites operacionais e cria reservas, podendo ser usado como garantia de empréstimos tomados pelas cooperativas para repasse aos associados ou ainda para cobertura de eventuais passivos tributários que possam ser impostos à Central.